Aparente Andarilho

Venho há muito tempo cultivando o hábito da escrita. Nesse trajeto, já me deparei com diversos percalços... já tive uma ideia genial para um livro, a abandonei, já juntei poesias e montei uma coletânia, que depois de muito trabalho e revisão foi acumular poeira digital em uma pasta que não mais encontro. Quanto maior o projeto, maior a chance de pararmos no meio do caminho.

Nunca fui particularmente bom em português, pelo contrário, é uma das matérias mais desafiadoras para mim. Nunca fui grande leitor, a mim interessam as prosas simples que provocam reflexões profundas. Mesmo assim, sigo escrevendo a ponto de hoje, me julgar menos inculto e inábil. Quanto maior a resiliência e a paciência, menor a chance de desistirmos da caminhada.

É fato que sou arrogante e prepotente de achar que minhas palavras possam de ter algum poder transformativo, mas se em meio à desvirtude vier algo de positivo, será isso tão ruim? É necessário que o projeto assuma um formato perfeito para que venha a existir? Claro que não! Que empresa, entidade ou pessoa é perfeita? Que momento financeiro ou de vida é o certo? O importante na proposta de construir algo, é tomarmos as ações, por mais imperfeitas que sejam.

São tantos sonhos que passam pela mente. Alguns ficam, outros passam tão brevemente, que mal percebemos que nos visitaram, todavia, seguimos buscando nosso lugar no mundo e formas de torná-lo um lugar mais acolhedor para nossos filhos e seus descendentes. Dar vida a sonhos e projetos reforça nosso poder de realização, nossa capacidade de tornar ideias em algo maravilhoso. Contudo, por que tantas vezes não conseguimos?

Por falta de planejamento. Seja ele financeiro, de tempo ou do que for... Dar características, prazos, quantificar custos, todo o processo inicia uma caminhada árdua no sentido de nos provarmos a nós mesmos. Me sinto confortável para escrever hoje e até postar textos sem revisão, porque tolo ou não, me planejei e segui dando minha cara a tapa, sendo corajoso e tolo, seguindo pela imperfeição em direção ao que eu desenhei no passado e desejo um dia poder ver e viver.

Fonte: 

Curtiu? Coloque aqui o seu E-Mail e receba os próximos artigos!