Vantagens e desvantagens em comprar e alugar uma casa

Muito se diz sobre como alugar uma casa é jogar dinheiro no lixo. Por que pagar um valor mensal por um espaço que não é e nunca será seu, se existe a possibilidade de se pagar essencialmente a mesma coisa e ficar com a casa para si? Quais os pontos positivos e negativos que ilustram com clareza e sem milhares de cálculos e complicações qual o melhor caminho?

Como para qualquer resposta cautelosa, depende do caso. Não existe fórmula mágica para nada, não existe para emagrecer, para ganhar dinheiro e muito menos para saber qual decisão melhor o favorecerá no futuro. No entanto, compreendendo o cenário, as vantagens e desvantagens de cada estratégia pode permitir maior certeza a respeito de qual caminho seguir. Seja ele comprar, alugar ou até mesmo permanecer no mesmo espaço.

Em primeiro lugar, deve-se pesar apropriadamente o que significa comprar um casa. Para tal, responder mentalmente algumas perguntas pode ajudar: onde eu vejo o meu futuro? Eu moraria nesta cidade ou neste bairro por quanto tempo? Eu me vejo nesta casa com uma família? Se eu mudar o lugar onde trabalho, o que isso poderia implicar em termos de deslocamento?

É preciso compreender que comprar uma residência é criar raízes e que tais, não são simplesmente manuseadas. Uma vez sua, é necessário entender que você estará sacrificando sua flexibilidade. Quaisquer problemas futuros na residência implicam em saídas que são, por definição, complexas, como alugar ou vender o imóvel.


Além disso, àqueles que não possuem profundo conhecimento do mercado imobiliário, resta a sorte um futuro de valorização ou desvalorização do bem. A depender de critérios que estão completamente à mercê de política e economia regional e federal - fato mascarado pela competência de agentes imobiliários que conciliam condições para obterem sucesso em sua carreira.

Dito sobre o enraízamento e a aposta no que o futuro reserva, vale apontar ainda o posicionamento de imobilização de bens e transformação de ativos em passivos. O dinheiro destinado a adquirir patrimônio, que poderia estar livre para uso-fruto e aplicado em carteiras diversificadas em risco gerando lucro, dá lugar a um imóvel, que platônicamente varia em valor, mas cobra sem faltar em IPTU e manutenção. Em outras palavras, troca-se dinheiro fácil se multiplicando, por dinheiro parado gerando gastos.

Até então você deve estar pensando: ele falou que depende mas só criticou a compra até agora, então é melhor alugar? Não necessariamente. Se por um lado existem desvantagens em corresponder ao anseio cultural e pessoal de ter uma casa própria, por outro também existem vantagens importantes e absolutamente indiscutíveis como a diversificação patrimonial e proteção do capital.

Todo mercado possui variações e diversificar (sem pulverizar) em diferentes opções ajuda a trabalhar com investimentos e iniciativas mais arriscadas, sem ameaçar o todo de gigantes alterações. Escolhendo opções que variam de acordo com o tipo de mercado, estratégia e momento da economia permite que mesmo em momentos financeiros delicados a composição não apresente grandes perdas. Ter um imóvel é ter um dinheiro indiscutívelmente seu, independentemente de quaiquer definições imprevisíveis políticas e econômicas.

No final das contas, não importa o tipo de caos presente na economia, você detém um dos mais importantes e disputados recursos existentes no planeta segundo a nossa configuração social: terra. E é justamente desta responsabilidade que nascem os contra pontos antes mencionados.

Se em muitas palavras ainda não se faz claro o que faz mais sentido, é porque a pergunta é nada menos do que complexa e das motivações encontradas em cada um de nós é que recomenda-se um estudo mais aprofundado, que vá além da generalização de comprar, especificando ainda: comprar como? À vista? Financiamento? Consórcio?

Vale ainda notar que reflexões como as aqui propostas permitem um desenho mais claro sobre estratégias a serem tomadas, todavia em si só não se fazem suficientes quando considerando a proporção do valor de um imóvel frente ao que se tem por receita. Entender o caminho a ser seguido, não necessariamente canaliza para a decisão mais eficiente, visto que um bom produto de uma estratégia ruim pode superar um produto ruim de uma estratégia boa.

Sendo assim, busque uma análise numérica, paute-se com base em cálculos, estudos de mercado e principalmente entenda seu cenário e opções! Consultores financeiros são excelentes alternativas para realizar tais análises, explicá-las de forma mais acessível ao entendimento e auxiliar neste e outros objetivos.

 

Fonte: 

Curtiu? Coloque aqui o seu E-Mail e receba os próximos artigos!