Investimento é uma ferramenta. Cada tipo, para um propósito

 

O mundo dos investimentos é diverso. Conforme comentado no post “Não compre nada até ler este artigo”, tudo são ferramentas e entrar em uma corretora de investimentos seria como ir a uma loja de construção. Em meio a tantas opções, como entender a mais adequada para nós?

 

Obviamente o apetite por risco e todas as características que compõe uma análise de perfil oferecem uma ideia do que uma pessoa aceitaria por risco. No entanto, quanto isso é suficiente para nos certificarmos que nós, dotados dos conhecimentos, faríamos as mesmas escolhas que os terceiros?

 

Parece bobagem, mas é aí que mora o perigo. Atualmente se percebe uma movimentação grande no sentido de investir e abandonar velhos vícios de imóveis e poupança. Todavia, aceitar recomendações de investimento sem saber o mínimo deles… É delegar ou submeter-se a vontade alheia?

 

Sendo assim faz-se necessário minimamente entender cada segmento na área de investimentos. Quando é interessante pensar em uma modalidade ou outra? Renda fixa, variável? Renda variável? Investimentos envolvendo câmbio? Fundos de investimento? Participação acionária em empresas? Fundos imobiliários?

 

Aproprie-se do seu planejamento.

 

O tempo deve passar e você deve se tornar seu próprio consultor financeiro: uma figura externa e imparcial, que visa solamente o sucesso financeiro de seus clientes. No caso, você mesmo.

 

Além disso, existem outras modalidades e formas de se ganhar dinheiro fora do mercado tradicional?  Quais os riscos associados? A busca pela liberdade financeira muitas vezes avança justamente por esta frente: a de buscar, conhecer, entender, comparar e decidir.

 

Preparado(a) para conhecer um pouco de cada modalidade?

 

Que pena, só no próximo artigo. Mas não tem problema, assine a Newsletter abaixo e, assim que ele chegar, você será avisado(a)!

Fonte: 

Curtiu? Coloque aqui o seu E-Mail e receba os próximos artigos!