Como se programar financeiramente para a chegada de um filho?

Digamos que agora você chegou a um dos momentos mais importantes da vida da maioria das pessoas: a chegada de um filho. Planejado ou não, a vinda de um bebê altera a vida e rotina das pessoas envolvidas. Afinal, é uma mudança para o resto dos seus dias. E é principalmente nos primeiros dias, contando da gestação, que as coisas são mais difíceis, ainda mais se tratando de finanças.

Um bebê demanda muito dos pais e para nada sair do controle é preciso parar pra pensar em como e onde serão gastos os rendimentos da família para esses primeiros momentos. Organizar as finanças ainda antes da gravidez é um passo fundamental para o novo membro da família vir ao mundo com mais tranquilidade. Quando a família ainda é apenas o casal, as contas precisam estar em dia, ao menos uma poupança de reserva de emergência precisa existir e também uma medida de gasto responsável.

As contas de casa terão novos itens desde a descoberta e quanto mais tempo se planejando para a vinda do bebê, mais tranquilo será para a família montar o enxoval, decorar o quarto e juntar dinheiro para as próximas fases. Mas o verdadeiro choque acontecerá após o nascimento. Por isso, é preciso abrir espaço no orçamento para essa nova realidade – quanto antes você se acostumar com isso, menor o choque.

Os gastos com os filhos entram na parcela de gastos fixos, equivalendo a 50% da renda líquida dos pais, incluindo despesas com saúde, fraldas, alimentação, roupas etc. Os valores a serem investidos em coisas supérfluas se aplicariam a passeios, brinquedos fora de época e coisas do tipo.

O foco é se preparar antes mesmo da possibilidade de uma gravidez, mesmo que seja uma surpresa.

NO GERAL, QUANTO CUSTA TER UM FILHO?

Um levantamento feito em 2013 pelo Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (Invent) levou em consideração a classe social para fazer seus cálculos. Dos 0 aos 23 anos essa era a despesa estimada:

Tendo em vista que já temos 6 anos desde esse último levantamento, podemos utilizá-lo como base, mesmo que muitas coisas tenham mudado no período e tendo a possibilidade de os gastos terem auementado bastante.

Gostou do texto? Confira também o texto sobre: Primeiros passos para iniciar um planejamento financeiro

Fonte: IBE

Curtiu? Coloque aqui o seu E-Mail e receba os próximos artigos!