Como sair por cima no pior cenário possível?

Você foi fantástico! Depois de absorver todo conteúdo e ter a mente aberta pelo artigo “Leia este artigo e tenha uma chance de não jogar seu futuro no lixo”, colocou o E-Mail na Newsletter e chegou aqui. Como prometido, o momento que todos esperavam - a resposta para o tira sono de milhares de famílias: iai?

Ensinarei então os caminhos para se proteger utilizando os produtos financeiros apresentados anteriormente. Mas antes, uma ressalva necessária: existem inúmeras estratégias válidas para se chegar em um resultado, será apresentada uma dessas, escolhida por seu teor assertivo, eficaz, generalista e simplório.

Tudo começa por uma avaliação: quanto dinheiro você tem? Não importa se o dinheiro tem um intuito ou destino neste momento, some tudo e anote (não leve em consideração bens materiais). Chamaremos este valor de “dinheiro guardado”. Considerando que haja a manutenção do padrão de vida pelo uso do salário atual, façamos a conta para que seja exatamente isso que você receberá por mês.

Sendo assim, considere o seu ganho anual (acrescido por todos os benefícios e bônus associados). Esse valor é o que representa a manutenção do seu padrão de vida. E é precisamente ele que deve vir advindo de investimentos.

Veja, é impossível calcular quanto você vai viver, sendo assim, qualquer palpite de montante necessário para você ir gastando até o momento da morte é essencialmente falho. Sendo assim, adota-se uma outra estratégia: viver APENAS com os rendimentos dele, deixando intacto o montante total. Agora, quanto é o seu “montante total”?

Estimando rentabilização anual de 10% (média intermediária, porém facilmente atingida quando assessorado por um consultor financeiro), calcula-se o montante. Basta fazer a seguinte conta:

Ganho Anual = 10% Montante Total

Ou seja,

Ganho Anual * 10 = Montante Total

Sendo assim, alcançar a liberdade financeira se resume a gerar em dinheiro a diferença entre Montante Total e Dinheiro Guardado. Em outras palavras, fazer o Dinheiro Guardado crescer a ponto de se equivaler ao Montante Total.

Todavia, não se sabe quando ou até se um acidente irá acontecer (impedindo-o de trabalhar e gerar riqueza), tornando impossível usar o tempo como elemento chave. Por isso, a blindagem é feita: justamente para protegê-lo até você chegar lá, como uma ponte entre o hoje e a sua liberdade financeira. Sendo assim a pergunta que queria calar: qual deve ser a cobertura assegurada?  Justamente aquela diferença.

Fonte: 

Curtiu? Coloque aqui o seu E-Mail e receba os próximos artigos!